QUAL É O TEU SEGREDO TERESITA?

QUAL É O TEU SEGREDO TERESITA?
(Siberia, 11-VIII-2010 – + Madrid, 7-III-2021)
A menina missionária que ofereceu seus terríveis sofrimentos a Jesus

P. Álvaro Cárdenas

Estou apaixonada por Jesus!
Vou para o céu!
Amo muito Jesus!
Quero ser missionária!
Já sou uma missionária de verdade!
Quero levar outras pessoas a Jesus!
Maria olha para mim!

No domingo, dia 7 de março de 2021, festa das santas mártires Perpétua e Felicidade, a pequena TeresitaCastillo de Diego,de dez anos de idade, deixava este mundo, como ela mesma havia anunciado meses antes, para ir ao céu com Jesus. O fazia em qualidade de missionária oferecendo os sofrimentos provocados por um tumor na cabeça com o qual havia lutado desde os cinco anos. Em sua última hospitalização houve uma piora. Dois meses antes ela havia dito:“Estou apaixonada por Jesus!” “Quero ser missionária!” E ao pai: “Papai, vou para o céu!” No dia da Virgem de Lourdes, Jornada Mundial dos Enfermos, ela recebeu no hospital a visita do Vigário Episcopal do VIII Vicariato de Madrid, o P. ÁngelCamino. El a nomeou missionária, nesta mesma ocasião. Teresita expressou sua alegria ao pai dela: “Papai, agora já sou uma missionária de verdade!” Fortalecida em sua entrega total a Jesus para a salvação de todos, ofereceu como missionária suas dores cruéis até o final, para voar com Jesus ao céu. Seu testemunho está correndo como a pólvora pelo mundo inteiro.
Quem é Teresita?O que pode representar de tão extraordinário uma vida tão curta? Qual terá sido o segredo de sua alegria e entrega como missionária a Jesus para os demais? Qual é a razão de sua surpreendente alegria e da atração que exerce pelo mundo afora?

Pequena e simpática menina russa, adotada por Eduardo Castillo e Teresa de Diego
Nasceu na Rússia em 11 de agosto de 2010, dia de Santa Clara. Em abril de 2014, com três anos e meio, chegou à Espanha com seus novos pais, Eduardo Castillo e Teresa de Diego.

Torna-se filha de Deus, incorporada à Igreja
Uma vez na Espanha, Teresita recebe o dom do Batismo em sua paróquia de NuestraSeñora de losArroyos, em El Escorial (Madrid), no dia 2 de agosto de 2014, na festa de nossa Senhora dos Anjos.Tinha quatro anos. Recebeu o nome de Maria Teresa dos Anjos. Seu Batismo será o início de sua vida terrenabreve,porém fecunda, unida à Virgem e à Jesus. Nesse dia recebeu por primeira vez o Espírito Santo e o céu foi habitar em seu pequeno coração de criança. Nesse mesmo dia também recebeu o escapulário da Virgem do Carmo. A partir daquele momento a Virgem a acolherá sob a sua especial proteção, a guardará sob o seu manto e a conduzirá ao seu Filho.

Descobrindo a Deus e abrindo-se ao significado da vida na Igreja doméstica de sua família e em seu colégio
Assim como Jesus, Teresita “foi crescendo em idade, sabedoria e graça perante Deus e os homens” (Lc 2,52). Ela o cresce num lar com profundas raízes cristãs. Graças à oração em família, à sua participação com sua mãe na missa diária, e à sua vida de fé e de amor à Deus e aos seus pais, seus avós, tios e primos,Teresita descobre Jesus. A entrega alegre das irmãzinhas de seu colégio de Veracruz, colabora ao seu crescimento na fé. Ela se maravilha com Santa Perpétua, jovem mártir de uns vinte anos e mãe de um bebé, a qual no ano 203, na cidade de Cartagena, junto à sua serva Felicidade, se negou a apostatar de Cristo, enfrentando o martírio para não se separardele, nem perder sua salvação. Jesus veio buscar Teresita justamente no dia em que se comemora as santas Perpétua e Felicidade.

Lutando desde os cinco anos de idade com um tumor no cérebro: cinco anos de um calvário a caminho da cruz
Em novembro de 2015, com cinco anos e meio, descobrem um tumor em sua cabeça. Começam então para ela cinco anos de exames, biopsias, intervenções cirúrgicas, quimioterapia, tratamento de prótons, tudo levado com alegria, sem contar as onze operações de sua cabeça durante as seis últimas semanas de vida. Em dezembro de 2020 o quadro piora. É hospitalizada em janeiro 2021. Não sairá mais do hospital, a não ser para ir ao céu com Jesus, como havia sonhado.

Menina feliz em sua família
Não obstante esse calvário para uma criança, Teresita amava intensamente sua família, seus pais, avós, tios e primos. Se divertia com todos eles. Teve uma relação particularmente intensa com sua tia materna e madrinha Marta e com seus seis primos. Cada vez que algum membro da família visitavasua casa, ela se enchia de alegria e saia correndo para os receber. Se alegrava com todos e com qualquer programa. Estava sempre atenta e disposta a ajudar, tomando muitas vezes a iniciativa.

Uma menina muito normal
Amava ir ao parque, montar a cavalo, nadar na piscina e aproveitar a praia no verão. Também gostava de brincar com seus amigos, especialmente com seus primos. Entre os filmes preferidos estavam: Marcelino pão e vinho e as aparições de Fátima, os desenhos de Santas Felicidade e Perpétua e de Santa Teresa de Calcutá. Também a encantavam Pocoyó, Heidi, Masha e o urso, e A Patrulha canina. Gostava de ligar para seus familiares e enviar mensagens para cumprimentá-los em seus aniversários e onomásticos, ou simplesmente para saudá-los, contar-lhes o que havia feito e perguntar como estavam. Sempre terminava as ligações enviando sonoros beijos.
Simpática, sociável, jovial, alegre, veemente, decidida e atenta a cada pessoa.
Teresita sempre foi uma menina muito alegre, carinhosa, simpática, muito sociável e atenta aos outros. Doava-se intensamente vivendo cada coisa com grande paixão. Quando alguém estava com ela não parecia que estivesse doente. Gostava de contar piadas divertidas. Fazia com que as pessoas se sentissem importantes e únicasao mundo. Cumprimentava sempre as pessoas com quem se encontrava, os policiais, o carteiro, as crianças que encontrava no parque, as pessoas que via passar desde sua casa. Possuía uma sensibilidade especial com relação aos pobres, com os quais conversava fazendo-se amiga. Vivia feliz e despreocupada, atenta a querer e fazer felizes a todos. Sua simpatia, sua atenção e preocupação por todos, sua espontaneidade ingênua e radiante alegria, fazia com que cada qual se sentia encantado e feliz em sua presença.

Estou apaixonada por Jesus! Quero ser uma missionária!
No dia 12 de dezembro, festa da Virgem de Guadalupe, durante um encontro no Centro Betlehem, de Colmenarejo (Madrid), para preparar o Natal, exclamou com grande determinação:“Estou apaixonada por Jesus!”e prosseguiu: “Quero ser missionária já!”O amor por Jesus a fazia desejar a salvação dos que não o conheciam ou estivessem longe dele. Teresita mostrava assim uma relação com Jesus que passava despercebida à primeira vista aos olhos dos que a viam e uma maturidade cristã incomum para uma criança de sua idade. Seu desejo de ser missionária crescia a cada dia. Durante sua última internação não parava de dizer que queria ser missionária.
“Vou para o céu!”, e seguia sonhando com o céu
No final do mês de outubro de 2020, estando sozinha com seu pai, sentou-se e disse: “Papai, vou para o céu!”Seu pai mudou de assunto. Ela voltou a repetir com muita seriedade e com determinação:“Papai, vou para o céu!”
Quando foi internada em novembro de 2020 disse à sua mãe que havia sonhado com o Céu e que havia visto seu avô (falecido em abril desse mesmo ano). No dia 2 de janeiro entrou pela última vez no hospital. No dia seguinte, estando em reanimação, disse à sua mãe que havia visto novamente o céu e seu avô. Disse também que havia visto a Deus, que lhe havia dito que queria ver Carlo Acutis e que Deus lhe havia mostrado a Carlo.

Agora sou uma missionária de verdade!
No dia 11 de fevereiro de 2021, o Vigário Episcopal do VIII Vicariato de Madrid, o P. ÀngelCamino, visitou o Hospital da Paz. Após celebrar aí uma missa e saudar os médicos e enfermeiras, foi convidado a conhecer Teresita, a qual estava na UTI infantil.Ao vê-lo,Teresita disse: “Já sei porque veio”.Ele perguntou: “Porquê vim?”Teresita respondeu: “Para trazer-me Jesus”.O Vigário ficou surpreso. Sua mãe explicou que era o Vigário de Madrid e que vinha de parte do bispo.
Teresita disse ao Vigário:“Sabe uma coisa? Eu peço para que muitas crianças conheçam a Jesus”.Sua mãe lhe disse: “Teresita, diga ao Vigário o que você quer ser”. Teresita respondeu: “Eu quero ser uma missionária!”Aquela resposta decidida de Teresita comoveu profundamente o Vigário. Na mesma hora ele replicou: “Com minha autoridade, eu te constituo missionária agora”. E lhe prometeu que à tarde lhe traria uma cruz de missionária e sua nomeação como missionária. Deu-lhe em seguida o sacramento da Unção dos Enfermos, a benção papal e a comunhão. Ao terminar, Teresita, radiante de alegria, enviou esta mensagem ao seu pai:“Papai, veja, acabam de dar-me a Unção e me disseram que já sou uma missionária de verdade!”
Assim que saiu do hospital, o Vigário comprou um pergaminho e deu instruções no Vicariato para que preparassem a nomeação. À tarde a imprimiu e a levou à Teresita no hospital, juntamente com a cruz missionária. Ao entregar a cruz à Teresita ela disse:“Pendura ela aí para que a veja bem e amanhã a levarei para o centro cirúrgico. Já sou missionária!”
Era o dia da Virgem de Nossa Senhora de Lourdes. Haviam passado dois meses desde o dia da Virgem de Guadalupe em que dissera:“Estou apaixonada por Jesus”; “Quero ser uma missionária já!”
Será que a Virgem ouviu o desejo da pequena Teresita? Será que permitiu que esse desejo crescesse durante os dois meses seguintes, para torná-lo realidade através do Vigário Episcopal?

Porque queria tanto ser missionária?
Dois dias após sua nomeação, estando ela em sua cama de hospital, uma amiga de sua mãe que é catequista, lhe perguntou porquequeria tanto ser missionária, para que seus alunos de catequese pudessem ouvir a resposta. Teresita com a voz muito tênue e entrecortada, respondeu:“Porque é assim que estou mais próxima a Jesus e me sinto mais santa; porque quero levar os outros junto a Jesus, também porque quero levar as crianças que não conhecem a Jesus, junto a Ele, para que possam ir ao céu, felizes para sempre, sempre”.
E quando sua mãe perguntou porque queria ser missionária, disse:“Ser missionária élevar as pessoas ao céu”.Sua mãe continuou: “E o que você faz como missionária?” Ao que Teresita replicou: “Falar de Jesus sempre e dar alegria. E esses dias que estive doentinha ofereci pelas pessoas, por exemplo para alguém que está doente, pelos sacerdotes”.O que você diria às crianças para animá-las a serem missionários?” Teresita respondeu:“Que sejam feliz, sejam amigos de Jesus, estando sempre perto dele”.

Santa Teresinha do Menino Jesus junto a ela no hospital
Durante sua última hospitalização, a relíquia de Santa Teresinha do Menino Jesus a acompanhou o tempo todo. Sua tia e madrinha não podendo estar com ela, lhe deixou uma relíquia de Santa Teresinha do Menino Jesus que ela tinha, para que a acompanhara durante sua permanência no hospital. Estando sozinha, Teresitapegava a relíquia, a abraçava e beijava. A padroeira das missões estava sustentando a entrega missionária da pequena Teresita espanhola, que como ela se havia oferecido como vítima ao Amor Misericordioso do Coração de Jesus para a salvação dos que não conhecem seu Amor.

Missionária,oferecendo seu sofrimento
Teresita não gostava de sofrer. Queria curar-se e usufruir do amor dos que a rodeavam, e da vida. Todavia, entendeu, que o sofrimento, a doença e o mal formam parte da vida. Também compreendeu que podia fazer como Jesus: aceitar tudo, oferecendo aquilo para unir-se mais à Ele e assim ajudar a salvar as demais pessoas. Conhecer as três crianças de Fátima, a ajudou muito a enxergar de outra maneira os sacrifícios e sofrimentos e a oferecê-los, como os pastorzinhos, para a salvação dos que não conhecem o amor de Jesus.
À sua oferta dos sofrimentos Teresita uniu a descoberta de Madre Teresa de Calcutá, de sua compaixão, tanto em relação à Jesus que tem sede do amor da humanidade, como também em relação aos que sofrem; a esses sentia-se especialmente unida a causa de sua doença e aos que estavam longe de Jesus.
Desde esse momento Teresitaconjugou o sentido da missão e da oferenda, compreendendo que sua missão consistia em ajudar a Jesus e aos homens com sua oração e sofrimentos.
Ela soube aceitar livremente sua oferenda a Jesus. Quando em meados de janeiro sua saúde piorou, se encontrava separada de sua mãe a causa do Covid e as dores se faziam cada vez mais intensas, Teresita se queixou com sua mãe dizendo:“Não aguento mais, será melhor que desista de ser missionária”.Sua mãe a animou dizendo: Vamos Teresita, você pode sim, você já é uma missionária”.Então Teresita disse: “Bom, vou tentar mais uma vez”, deixando claro que sabia que sua missão estava unida à aceitação e à oferenda de suas dores. Esse foi o momento em que Teresita, plenamente consciente, ofereceu tudo à Jesus recebendo em troca dele o dom da fortaleza para sofrer o que ainda restava por vir. Sua nomeação como missionária, as mensagens que recebia do Vigário e as que chegavam de vários missionários e sacerdotes pedindo sua oração e o oferecimento de suas dores para as respectivas missões, a confirmaram em sua entrega a Jesus e na oferta de sua vida até o fim.

Domingo, dia 7 de março começou sua missão no Céu!
No domingo, dia 7 de março, terminou sua oferta aqui na terra entregando definitivamente sua alma à Deus, para continuar sua missão desde o céu. E parece que está tomando muito a sério sua missão. Desde que Jesus a levou consigo, ela não parou de comover muitos corações frios e indiferentes, de surpreender e encher de alegria missionários e missionárias do mundo todo, e está tocando o coração de uma multidão de crianças e jovens, de pequenos e adultos, de casais, consagrados e consagradas, de leigos e sacerdotes, não apenas na Espanha como também no mundo inteiro. Assim como sabia entrar no coração dos que a rodeavam e fazer-se amiga deles, agora também está entrando no coração dos que a estão conhecendo, e se faz amigos por toda parte.

Uma nova intercessora no céu?
O próprio P. ÀngelCamino Lamela no mesmo dia do falecimento de Teresita ao fazer o responsório fúnebre, disse comovido à família e aos fiéis aí reunidos: “Se Teresita não estiver no céu, ninguém está”. E alguns dias mais tarde, expressava à revista Ecclesia a profunda marca que Teresita havia deixado nele: “Não posso seguir sendo o mesmo. Quero ser mais autêntico, mais criança e dar testemunho.Com muitíssima prudência devo dizer que existem sinais de santidade”. E falo por mim, sem ser minimamente santeiro. Porém, se daqui a alguns meses a história de Teresita continua viva teremos que pensá-lo. Em Roma dão muitíssima importância à santidade das crianças.

Se alguém quiser receber notícias de Teresita, enviar seu testemunho sobre o que significou para ele ou ela o amor a Jesus e sua entrega missionária, ou ainda comunicar graças recebidas através de sua intercessão poderá escrever para o endereço eletrônico abaixo:
[email protected]

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler