Reflexão do Evangelho 09/02/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…

Evangelho de hoje, 09 de fevereiro (Mc 7,1-13): «Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim»
Os fariseus e alguns escribas vindos de Jerusalém ajuntaram-se em torno de Jesus. Eles perceberam que alguns dos seus discípulos comiam com as mãos impuras, isto é, sem lavá-las. Ora, os fariseus e os judeus em geral, apegados à tradição dos antigos, não comem sem terem lavado as mãos até o cotovelo. Bem assim, chegando da praça, eles não comem nada sem a lavação ritual. E seguem ainda outros costumes que receberam por tradição: a maneira certa de lavar copos, jarras, vasilhas de metal, camas. Os fariseus e os escribas perguntaram a Jesus: «Por que os teus discípulos não seguem a tradição dos antigos, mas tomam a refeição com as mãos impuras?» Ele disse: «O profeta Isaías bem profetizou a vosso respeito, hipócritas, como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. É inútil o culto que me prestam, as doutrinas que ensinam não passam de preceitos humanos’. Vós abandonais o mandamento de Deus e vos apegais à tradição humana». E dizia-lhes: «Sabeis muito bem como anular o mandamento de Deus apegando-vos à vossa tradição. De fato, Moisés ordenou: ‘Honra teu pai e tua mãe’. E ainda: ‘Quem insulta pai ou mãe, deve morrer’. Mas vós ensinais que alguém pode dizer a seu pai e à sua mãe: ‘O sustento que poderíeis receber de mim é destinado para oferenda’. E já não deixais tal pessoa ajudar seu pai ou sua mãe. Assim anulais a palavra de Deus por causa da vossa tradição, que passais uns para os outros. E fazeis ainda muitas outras coisas como essas»!
 
COMENTÁRIO: «Por que os teus discípulos não seguem a tradição dos antigos, mas tomam a refeição com as mãos impuras?» Nós, católicos, podemos cair em desvios semelhantes, acreditando que práticas externas, em si – boas, como procissões, novenas, devoção aos santos, sejam a garantia de um autêntico espírito religioso, enquanto faltam aspectos essenciais como a frequência aos sacramentos (inclusive a confissão individual dos pecados), a adoração, o serviço ao próximo, o trabalho de evangelização e a busca do Senhorio de Jesus em nossa vida, de modo que tudo gire em torno de Sua pessoa, atentos à vontade de Deus para nós. Daí a necessidade imperiosa de invocar permanente o Espírito Santo, de estar atento às suas moções interiores e, naturalmente, de cortar pela raiz todo tipo de apego que nos imobiliza e impede de agir segundo seus impulsos. Sem este Espírito, a prática religiosa é fria, estéril, mecânica, sem vida. Simples ritual. Que as nossas boas ações se inspirem, pois, em boas razões. Que a nossa intenção seja não somente reta, mas, acima de tudo, sobrenatural, a fim de cumprirmos o que nos exorta o Apóstolo: “Quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1Cor 10, 31).
 
Orai sem cessar: «Eu quero o amor mais que os sacrifícios, e o conhecimento de Deus mais que os holocaustos» (Os 6,6).
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler