Reflexão do Evangelho 12/11/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…

Evangelho de hoje, 12 de novembro (Lc 17,26-37): «A volta do Filho do Homem»
«Como aconteceu nos dias de Noé, assim também acontecerá nos dias do Filho do Homem. Comiam, bebiam, homens e mulheres casavam-se, até ao dia em que Noé entrou na arca. Então chegou o dilúvio e fez morrer todos. Acontecerá como nos dias de Ló: comiam e bebiam, compravam e vendiam, plantavam e construíam. Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, Deus fez chover fogo e enxofre do céu e fez morrer todos. O mesmo acontecerá no dia em que se manifestar o Filho do Homem». Naquele dia, quem estiver no terraço não entre para apanhar objeto algum em sua casa. E quem estiver no campo não volte atrás. Lembrai-vos da mulher de Ló! Quem procurar salvar a vida, vai perdê-la; e quem a perder, vai salvá-la. Eu vos digo: naquela noite, dois estarão na mesma cama; um será tomado e o outro será deixado. Duas mulheres estarão juntas; uma será tomada e a outra será deixada». Os discípulos perguntaram: «Senhor, onde acontecerá isto?». Ele respondeu: «Onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres».
 
COMENTÁRIO: No Evangelho de hoje, Jesus nos fala de sua segunda vinda e do juízo final que separará enfim os bons dos maus, os justos dos injustos. Será um juízo repentino, que pegará desprevenidos os que não se houverem preparado, absortos em seus afazeres terrenos. Para ilustrar como isso há de acontecer, o Senhor alude à destruição de Sodoma e Gomorra, as duas cidades mais conhecidas da antiga Pentápole (Sb 10, 6): “Acontecerá como nos dias de Ló”, a quem Deus salvou da chuva de fogo e ordenou que, uma vez fora da cidade, não olhasse para trás (Gn 19, 17). Esse “não olhar para trás” significa, antes de tudo, que não devemos apegar-nos a este mundo passageiro, porque se há nele algo que tenha valor, só o tem em Deus e por causa de Deus. O nosso coração, consequentemente, deve estar sempre voltado para o Senhor, a ponto de prescindirmos por completo do “passado” (isto é, das coisas mundanas, sejam elas os nossos divertimentos, os nossos gostos, as nossas más “amizades” etc.) e, com a vista posta no prêmio celeste, nos atirarmos ao que resta para frente (Fp 3, 13), para o alto, a fim de podermos alcançar na glória o Deus que nos alcançou por seu amor e graça. “Lembrai-vos da mulher de Ló”, alerta-nos hoje Jesus, que olhou para trás, saudosa da cidade que deixava, dos costumes e do ambiente idólatra a não queria renunciar, apegada ao que em poucos minutos se desfaria em ruínas fumegantes. Saibamos, pois, reconhecer o valor limitado e relativo das coisas deste mundo, que nada são e nada valem sem Deus e fora de Deus. Por isso, lancemo-nos em direção ao amorosíssimo Coração de Cristo, porque é só assim, referindo tudo a Deus e perseguindo sem descanso o alvo (Fp 3, 14) da bem-aventurança eterna, que poderemos salvar não só a nossa vida, mas também a dos que amamos neste mundo: “Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas e não olhes para trás” (Gn 19, 15.17)
 
Uma vez mais, Jesus exorta à vigilância: não descuidemos o mais importante da nossa vida, a salvação eterna…
São Josafá Kuncevicz, monge, bispo, mártir, rogai por nós, pelos cristãos martirizados no mundo inteiro e pelo fim da Pandemia!
Tenha um abençoado final de semana!
À Jesus, toda a honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler