Reflexão Do Evangelho 15/03/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 15 de março (Jo 4,43-54): «Se não virdes sinais e prodígios, nunca acreditareis»
Passados os dois dias, Jesus foi para a Galileia. Jesus mesmo tinha declarado, de fato, que um profeta não é reconhecido em sua própria terra. Quando então chegou à Galileia, os galileus o receberam bem, porque tinham visto tudo o que fizera em Jerusalém, por ocasião da festa. Pois também eles tinham ido à festa. Jesus voltou a Caná da Galileia, onde tinha mudado a água em vinho. Havia um funcionário do rei, cujo filho se encontrava doente em Cafarnaum. Quando ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judéia para a Galileia, ele foi ao encontro dele e pediu-lhe que descesse até Cafarnaum para curar o seu filho, que estava à morte. Jesus lhe disse: «Se não virdes sinais e prodígios, nunca acreditareis». O funcionário do rei disse: «Senhor, desce, antes que meu filho morra!» Ele respondeu: «Podes ir, teu filho vive». O homem acreditou na palavra de Jesus e partiu. Enquanto descia para Cafarnaum, os empregados foram-lhe ao encontro para dizer que seu filho vivia. O funcionário do rei perguntou a que horas o menino tinha melhorado. Eles responderam: «Ontem, à uma da tarde, a febre passou”. O pai verificou que era exatamente nessa hora que Jesus lhe tinha dito: “Teu filho vive». Ele, então, passou a crer, juntamente com toda a sua família. Também este segundo sinal, Jesus o fez depois de voltar da Judéia para a Galileia.
 
COMENTÁRIO: «Se não virdes sinais e prodígios, nunca acreditareis». Os Galileus em geral estavam mais dispostos para ver manifestações extraordinárias do que para escutar Jesus. Jesus pede uma fé firme e pura, que, ainda que se apoie em milagres, não os exige. Não obstante, Deus continua em todos os tempos a fazer milagres, que servem para reafirmar a fé. Apesar da atitude aparentemente fria de Jesus, o “nobre” insiste a manifestar o seu sofrimento interior: “Senhor, vem cá abaixo antes que o meu filhinho morra”. Ainda que imperfeita, a sua fé tinha sido suficiente para percorrer o longo caminho que separa Cafarnaum de Caná e, não obstante a sua elevada posição, tinha-se aproximado do Senhor pedindo ajuda. Jesus gosta da perseverança e da humildade desse homem. O pedido feito com fé alcança o seu objetivo: “Si habueritis fidem, sicut granum sinapis!” Se tivesses uma fé do tamanho de um grãozito de mostarda… Que promessas não encerra esta exclamação do Mestre! (Caminho, n° 585). O milagre da cura é força convincente que atrai à fé aquele homem e com ele toda a sua família. Todo o bom pai de família deve aproveitar os episódios domésticos para procurar que os seus acedam à fé. Assim diz São Paulo: “Se alguém não cuida dos seus e principalmente de sua casa, negou a fé e é pior que um infiel” (1Tim 5,8). Veja, ainda: At 16,14, onde se narra que Lídia cuidou de que com ela fosse batizada toda a sua família; em At 18,8, refere-se a mesma atitude do chefe da Sinagoga Crispo, e em At 16,33 a do guarda da prisão. Em nossos dias, quantos estão à beira da morte esperando socorro? Preciso de sinais para crer?
 
Orai sem cessar: “Creio, Senhor, mas socorre minha falta de fé!” (Mc 9,24)
Tenha uma abençoada semana!
São José, servo justo e fiel, rogai por nós e pelo fim da Pandemia!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler