Reflexão Do Evangelho 17/08/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 17 de agosto (Mt 19,23-30): «Em verdade vos digo, dificilmente um “rico” entrará no Reino dos Céus»
Disse Jesus a seus discípulos: «Em verdade vos digo, dificilmente um rico entrará no Reino dos Céus. E digo ainda: é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Reino de Deus». Ouvindo isso, os discípulos ficaram perplexos e perguntaram: «Quem, pois, poderá salvar-se?». Jesus olhou bem para eles e disse: «Para os homens isso é impossível, mas para Deus tudo é possível». Em seguida, Pedro tomou a palavra e disse-lhe: «Olha! Nós deixamos tudo e te seguimos. Que haveremos de receber?». Jesus respondeu: «Em verdade vos digo, quando o mundo for renovado e o Filho do Homem se sentar no trono de sua glória, também vós, que me seguistes, havereis de vos sentar em doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna. Ora, muitos que são primeiros serão últimos, e muitos que são últimos serão primeiros».
 
COMENTÁRIO: Os ricos serão salvos? O Evangelho de hoje nos oferece a oportunidade de solucionar uma dificuldade interpretativa para não poucos leitores. Após a despedida do jovem rico, Jesus diz aos discípulos: “É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!” Este trecho poderia, pelo menos à primeira vista, dar a impressão de que a salvação de quem possui bens materiais é algo impossível. Santo Tomás de Aquino, porém, contemplando a Sagrada Escritura em seu conjunto, nota que a palavra “rico” designa aqui não quem tem posses pura e simplesmente, mas quem a elas é apegado, isto é, os que põem toda a sua esperança nas riquezas volúveis e passageiras deste mundo (1Tm 6, 17). Na medida em que nos fazem esquecer de Deus e inflam de orgulho o nosso coração (Ez 28, 17), os bens mundanos podem, é evidente, constituir um grande empecilho para a vida espiritual; não deixam, contudo, de oferecer a quem deles sabe servir-se com desapego como meio de praticar generosamente a caridade fraterna. Por isso, os que Deus cumulou de riquezas materiais devem, segundo o conselho do Apóstolo, enriquecer-se no espírito, sendo generosos, comunicativos e desprendidos, “a fim de conquistarem a verdadeira vida” (1Tm 6, 19). Peçamos, pois, a Nosso Senhor que nos faça satisfeitos como o que lhe aprouve dar-nos; que, a exemplo da pobreza d’Aquele que, sendo Rei do universo, não quis ter onde reclinar a cabeça, busquemos ajuntar apenas tesouros no Céu, “onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furam nem roubam” (Mt 6, 20).
 
Orai sem cessar: “Senhor, criai em mim um coração que seja puro!”
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler