Reflexão do Evangelho 20/11/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…

Evangelho de hoje, 20 de novembro (Lc 20,27-40): “Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”.
Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns saduceus, os quais negam a ressurreição, e lhe perguntaram: «Mestre, Moisés deixou-nos escrito: Se alguém tiver um irmão casado e este morrer sem filhos, deve casar-se com a mulher para dar descendência ao irmão. Ora, havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu, sem deixar filhos. Também o segundo e o terceiro se casaram com a mulher. E assim os sete: todos morreram sem deixar filhos. Por fim, morreu também a mulher. Na ressurreição, ela será esposa de qual deles? Pois os sete a tiveram por esposa». Jesus respondeu-lhes: «Neste mundo, homens e mulheres casam-se, mas os que forem julgados dignos de participar do mundo futuro e da ressurreição dos mortos não se casam; e já não poderão morrer, pois serão iguais aos anjos; serão filhos de Deus, porque ressuscitaram. Que os mortos ressuscitam, também foi mostrado por Moisés, na passagem da sarça ardente, quando chama o Senhor de Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó. Ele é Deus não de mortos, mas de vivos, pois todos vivem para ele». Alguns escribas responderam a Jesus: «Mestre, falaste muito bem». E não mais tinham coragem de lhe perguntar coisa alguma.
 
COMENTÁRIO: “Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”. O foco desse Evangelho não é a indissolubilidade do casamento. A história contada pelos saduceus: a mesma mulher com sete maridos sucessivos foi apenas para confundir Jesus. O foco é a ressurreição dos mortos. Quem não crê na ressurreição abusa de seu próprio corpo como o faria de um corpo estranho. A Santa Igreja nos ensina a fé na ressurreição dos mortos: artigo de fé importante e necessário, mas combatido por muitos. Os gregos o combatem, os samaritanos o negam, os heréticos o rasgam. A contradição tem muitas faces, mas a verdade tem um único rosto. Para criar o homem, Deus mudou a poeira em carne; não seria a carne novamente restaurada em carne? De onde tiraram sua existência o céu, a terra e o mar? E o sol, a lua e as estrelas? Como os pássaros e os peixes foram tirados das águas? Tantas miríades de criaturas foram transportadas do nada para o ser, e nós, homens, criados à imagem de Deus, será que não ressuscitaremos? Lembrai ainda as palavras do Apóstolo Paulo aos coríntios: ‘Se os mortos não ressuscitam, então também Cristo não ressuscitou’ (1Cor 15,13). “Loucos” os que não creem (1Ts 4,16). Jesus, também, fala sempre na Ressurreição e jamais se refere à possibilidade de uma nova vida – nova oportunidade. A Carta aos Hebreus afirma que só se vive uma vez, com o juízo particular imediatamente após a morte (Hb 9,27). [São Cirilo de Alexandria]
 
Orai sem cessar: “Na minha própria carne, verei a Deus!” (Jó 19, 26)
À Jesus, toda a honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler