Reflexão do Evangelho 02/11/2020

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…
Evangelho de hoje, 02 de novembro (Jo 6,37-40):

«Quem crê no Filho tem a vida eterna»
Disse Jesus às multidões: “Todos os que o Pai me confia virão a mim, e quando vierem, não os afastarei. Pois eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que ele me deu, mas os ressuscite no último dia. Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia”.
 
COMENTÁRIO: A Comemoração dos Fiéis Defuntos, festa em que a caridade cristã nos impele a rezar em sufrágio daqueles que nos precederam com o sinal da fé, vem recordar-nos, como crê e sempre creu a Igreja Católica, que só poderão associar-se no Céu à Assembleia dos santos as almas inteiramente purificadas, ou seja, as que, além de estarem livres de todo pecado mortal, tiverem alcançado na hora da morte aquele grau de amor a Deus sem o qual não é possível ser admitido ao Reino celeste. Noutras palavras, os que morrem em estado de graça, embora não sejam condenados ao inferno, nem por isso vão diretamente para o Céu, se à hora de morrer não possuírem aquela pureza de coração sem a qual é impossível ver a Deus. Eis porque a divina Providência instituiu os sofrimentos purificadores do Purgatório, no qual se encontram detidas as almas dos fiéis defuntos que, se bem estejam seguras da própria salvação, têm ainda a necessidade de se preparare para comparecer, com uma veste sem rugas, à presença do Cordeiro imaculado. Mas o dever de caridade, piedade e justiça pelo qual devemos rezar em favor da liberação dessas almas tão felizes como angustiadas não se deve apenas a essa demora em ver a Deus, mas, também, aos padecimentos terríveis que elas ali suportam, dos quais o menor, como sugere Santo Tomás de Aquino, é maior do que todos os males da terra. Não lhes neguemos, portanto, toda a sorte de socorro que nos for possível oferecer. A impetração de nossas orações, o mérito de nossas boas obras, a satisfação de nossas penitências, a aplicação dos efeitos propiciatório e impetratório da Santa Missa, tudo isso é meio de lhes aliviar o sofrimento e encurtar a dilação da glória que, por falta de um amor mais puro e perfeito, elas tristemente mereceram (Pe. Paulo Ricardo).
 
Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler

LOJA VIRTUAL

(Clique na imagem para acessar)

fechar
Comece a digitar para ver as postagens que está procurando.
Voltar Ao Topo