Reflexão do Evangelho 03/11/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 03 de novembro (Lc 14,25-33): “A nada dar mais valor do que a Cristo”
Grandes multidões acompanhavam Jesus. Voltando-se, ele lhes disse: «Se alguém vem a mim, mas não me prefere a seu pai e sua mãe, sua mulher e seus filhos, seus irmãos e suas irmãs, e até à sua própria vida, não pode ser meu discípulo. Quem não carrega sua cruz e não caminha após mim, não pode ser meu discípulo». De fato, se algum de vós quer construir uma torre, não se senta primeiro para calcular os gastos, para ver se tem o suficiente para terminar? Caso contrário, ele vai pôr o alicerce e não será capaz de acabar. E todos os que virem isso começarão a zombar: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de acabar!’ Ou ainda: um rei que sai à guerra contra um outro não se senta primeiro e examina bem se com dez mil homens poderá enfrentar o outro que marcha contra ele com vinte mil? Se ele vê que não pode, envia uma delegação, enquanto o outro ainda está longe, para negociar as condições de paz». Do mesmo modo, portanto, «qualquer um de vós, se não renunciar a tudo o que tem, não pode ser meu discípulo!».
 
COMENTÁRIO: «Quem não carrega sua cruz e não caminha após mim, não pode ser meu discípulo!» Essas palavras do Senhor não devem desconcertar ninguém. O amor a Deus e a Jesus Cristo deve ocupar o primeiro lugar na nossa vida e devemos afastar tudo aquilo que ponha obstáculos a este amor: «Amemos neste mundo a todos, comenta São Gregório Magno, ainda que seja ao inimigo; mas odeie-se o que se nos opõe no caminho de Deus, ainda que seja parente… Devemos, pois, amar o próximo; devemos ter caridade com todos; com os parentes e com os estranhos, mas sem nos afastarmos do amor de Deus por amor deles». Em última análise, trata-se de observar a ordem da caridade: Deus tem prioridade sobretudo! Assim como é imprudente um rei que pretende lutar com um número insuficiente de soldados, também é insensato quem quiser seguir o Senhor sem renunciar a todos os seus bens. Esta renúncia das riquezas há de ser efetiva e concreta: o coração deve estar desembaraçado de todos os bens materiais para poder seguir os passos do Senhor, pois é impossível «servir a Deus e ao dinheiro». Não é infrequente que o Senhor peça a alguns viver em pobreza absoluta e voluntária; e de todos exige o desprendimento afetivo e a generosidade ao empregar os bens materiais. Todo cristão há de estar pronto a renunciar à própria vida, com mais motivo há de está-lo relativamente às riquezas: «Se és homem de Deus, põe em desprezar as riquezas o mesmo empenho que põem os homens do mundo em possuí-las» (Caminho. n° 633).
 
A mensagem evangélica é incompatível com apegos de todo tipo: afetivos, materiais e financeiros. O caminho do Calvário é um contínuo despojamento: à margem da estrada vão ficando todas aquelas coisas e pessoas que nos pareciam indispensáveis a nosso equilíbrio e segurança.
São Martinho de Lima, rogai por nós e pela Igreja de Cristo e pelo fim da Pandemia!
À Jesus, toda a honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler