Reflexão do Evangelho 04/04/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 04 de abril (Jo 20,1-9): «Páscoa da Ressurreição do Senhor»
No primeiro dia da semana, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, Maria Madalena foi ao túmulo e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. Ela saiu correndo e foi se encontrar com Simão Pedro e com o outro discípulo, aquele que Jesus mais amava. Disse-lhes: «Tiraram o Senhor do túmulo e não sabemos onde o colocaram». Pedro e o outro discípulo saíram e foram ao túmulo. Os dois corriam juntos, e o outro discípulo correu mais depressa, chegando primeiro ao túmulo. Inclinando-se, viu as faixas de linho no chão, mas não entrou. Simão Pedro, que vinha seguindo, chegou também e entrou no túmulo. Ele observou as faixas de linho no chão, e o pano que tinha coberto a cabeça de Jesus: este pano não estava com as faixas, mas enrolado num lugar à parte. O outro discípulo, que tinha chegado primeiro ao túmulo, entrou também, viu e creu. De fato, eles ainda não tinham compreendido a Escritura segundo a qual ele devia ressuscitar dos mortos.
 
COMENTÁRIO: «Este é o dia que o Senhor fez para nós, exultemos e cantemos de alegria!» (Sl 117, 24). O sepulcro vazio e os outros dados que o acompanham são sinais perceptíveis pelos sentidos; a Ressurreição, pelo contrário, ainda que possa ter efeitos comprováveis pela experiência, requer a fé para ser aceita. A Ressurreição de Cristo é um fato real e histórico: nova união do corpo e da alma de Jesus. Mas, sendo uma Ressurreição gloriosa, não como a de Lázaro, que está muito acima do que podemos apreciar nesta vida, e supera, portanto, os limites da experiência sensível, requer-se uma ajuda especial de Deus, o dom da fé, para conhecer e aceitar com certeza este fato que, ao mesmo tempo que é histórico, é sobrenatural. Portanto, pode dizer-se com São Tomás de Aquino que «cada um dos argumentos de per si não bastaria para demonstrar a Ressurreição, mas, tomados em conjunto, manifestam-na suficientemente; sobretudo, pelo testemunho da Sagrada Escritura (especialmente Lc 24,25-27), pelo anúncio dos Anjos (Lc 24,4-7) e pela palavra de Cristo confirmada com milagres» (Jo 3,13; Mt 16,21, etc.). Além das predições de Cristo acerca da Sua Paixão, Morte e Ressurreição (Jo 2,19; Mt 16,21; Mc 9,31; Lc 9,22), já no Antigo Testamento estava anunciado o triunfo glorioso do Messias e, de certo modo, a Sua Ressurreição (Is 52,13; Os 6,2). Os Apóstolos começam a compreender o verdadeiro sentido da Sagrada Escritura depois da Ressurreição do Senhor, e mais especialmente quando recebem o Espírito Santo, que ilumina plenamente as suas inteligências para compreender o conteúdo da Palavra de Deus. É de supor a surpresa e o alvoroço de todos os discípulos ao ouvir Pedro e João contarem o que tinham visto no sepulcro…
 
Orai sem cessar: «Senhor, Vós que por meio da paixão, morte e ressurreição de vosso Filho nos resgatastes da escravidão do pecado, concedei-nos uma fé inabalável nas verdades reveladas por Vós e confiadas à Santa Igreja Católica, e fortalecei nossa esperança na ressurreição gloriosa que há de vir. Amém!»
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler