Reflexão do Evangelho 05/06/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…

Evangelho de hoje, 05 de junho (Mc 12, 38-44): «Deus não olha a esmola. Olha o coração!»
Jesus ensinava a multidão, dizendo: «Acautelai-vos dos escribas, que gostam de exibir longas vestes, de receber cumprimentos nas praças, de ocupar os primeiros assentos nas sinagogas e os primeiros lugares nos banquetes. Devoram as casas das viúvas com pretexto de fazerem longas rezas. Estes receberão uma sentença mais severa». Jesus sentou-Se em frente da arca do tesouro a observar como a multidão deitava o dinheiro na caixa. Muitos ricos deitavam quantias avultadas. Veio uma pobre viúva e deitou duas pequenas moedas, isto é, um quadrante. Jesus chamou os discípulos e disse-lhes: «Em verdade vos digo: esta pobre viúva deitou na caixa mais do que todos os outros. Eles deitaram do que lhes sobrava, mas ela, na sua pobreza, ofereceu tudo o que tinha, tudo o que possuía para viver».
 
COMENTÁRIO: Cuidado com os escribas! Este alerta de Jesus não tem a intenção de nos deixar precavidos em relação aos escritores. Nada disso! O Mestre simplesmente aponta para o exibicionismo dos sábios doutores da Lei de sua época, sua busca de honrarias e aplausos. Se os escribas vivessem hoje, certamente estariam brilhando na TV e nas academias, onde o vírus da vaidade causa suas epidemias… Um dos Padres da Igreja, São João Clímaco [Séc VII] também tratou deste tema: “Todo amigo da ostentação é vaidoso”. Se prestares atenção, notarás que até o túmulo prolifera a vanglória, seja nas vestes, nos perfumes, no séquito dos servidores ou em outras coisas. A vanglória torna orgulhosos aqueles que são honrados, e rancorosos os que são desdenhados. Um espírito elevado suporta a injúria com coragem e alegria, mas é preciso ser um santo e bem-aventurados para passar sem prejuízo em meio aos louvores. Muitas vezes Deus esconde aos nossos olhos as virtudes que adquirimos. Mas aquele que nos elogia, ou antes nos engana, abre nossos olhos com os seus louvores e, quando nossos olhos se abrem, dissipa-se nosso tesouro. Não confies no tentador que te sugere fazer propaganda de tuas virtudes para a edificação do próximo. Nada edifica tanto os outros quanto os modos humildes e sinceros e as palavras verdadeiras, pois isso os ajudam a jamais se orgulhar. Quando nossos bajuladores, ou antes nossos sedutores, começam a nos elogiar, devemos trazer brevemente à memória a multidão de nossos pecados, e então nos reconheceremos indignos daquilo que se diz ou se faz em nossa honra. O vaidoso é um crente idólatra: ele parece honrar a Deus, mas busca agradar aos homens, e não a Deus. Por certo, os vaidosos às vezes dirigem a Deus orações que merecem ser atendidas, mas o Senhor costuma prevenir-se contra suas preces e seus pedidos, temendo que, ao verem atendidas as suas orações, aumentem ainda mais o seu orgulho. “Com frequência, o Senhor reconduz os vaidosos de sua vanglória por meio de alguma humilhação que lhes acontece. Se examinarmos nosso passado, talvez identifiquemos algumas humilhações que doeram, na época, mas foram excelente remédio receitado pelo Senhor…
 
Orai sem cessar: «Honra-Me quem oferece um sacrifício de louvor!» (Sl 49,23)
São Bonifácio, rogai por nós, pelos cristãos perseguidos e martirizados no mundo inteiro e pelo fim da Pandemia!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Evangelho de hoje, 05 de junho (Mc 12, 38-44): «Deus não olha a esmola. Olha o coração!»
Jesus ensinava a multidão, dizendo: «Acautelai-vos dos escribas, que gostam de exibir longas vestes, de receber cumprimentos nas praças, de ocupar os primeiros assentos nas sinagogas e os primeiros lugares nos banquetes. Devoram as casas das viúvas com pretexto de fazerem longas rezas. Estes receberão uma sentença mais severa». Jesus sentou-Se em frente da arca do tesouro a observar como a multidão deitava o dinheiro na caixa. Muitos ricos deitavam quantias avultadas. Veio uma pobre viúva e deitou duas pequenas moedas, isto é, um quadrante. Jesus chamou os discípulos e disse-lhes: «Em verdade vos digo: esta pobre viúva deitou na caixa mais do que todos os outros. Eles deitaram do que lhes sobrava, mas ela, na sua pobreza, ofereceu tudo o que tinha, tudo o que possuía para viver».
 
COMENTÁRIO: Cuidado com os escribas! Este alerta de Jesus não tem a intenção de nos deixar precavidos em relação aos escritores. Nada disso! O Mestre simplesmente aponta para o exibicionismo dos sábios doutores da Lei de sua época, sua busca de honrarias e aplausos. Se os escribas vivessem hoje, certamente estariam brilhando na TV e nas academias, onde o vírus da vaidade causa suas epidemias… Um dos Padres da Igreja, São João Clímaco [Séc VII] também tratou deste tema: “Todo amigo da ostentação é vaidoso”. Se prestares atenção, notarás que até o túmulo prolifera a vanglória, seja nas vestes, nos perfumes, no séquito dos servidores ou em outras coisas. A vanglória torna orgulhosos aqueles que são honrados, e rancorosos os que são desdenhados. Um espírito elevado suporta a injúria com coragem e alegria, mas é preciso ser um santo e bem-aventurados para passar sem prejuízo em meio aos louvores. Muitas vezes Deus esconde aos nossos olhos as virtudes que adquirimos. Mas aquele que nos elogia, ou antes nos engana, abre nossos olhos com os seus louvores e, quando nossos olhos se abrem, dissipa-se nosso tesouro. Não confies no tentador que te sugere fazer propaganda de tuas virtudes para a edificação do próximo. Nada edifica tanto os outros quanto os modos humildes e sinceros e as palavras verdadeiras, pois isso os ajudam a jamais se orgulhar. Quando nossos bajuladores, ou antes nossos sedutores, começam a nos elogiar, devemos trazer brevemente à memória a multidão de nossos pecados, e então nos reconheceremos indignos daquilo que se diz ou se faz em nossa honra. O vaidoso é um crente idólatra: ele parece honrar a Deus, mas busca agradar aos homens, e não a Deus. Por certo, os vaidosos às vezes dirigem a Deus orações que merecem ser atendidas, mas o Senhor costuma prevenir-se contra suas preces e seus pedidos, temendo que, ao verem atendidas as suas orações, aumentem ainda mais o seu orgulho. “Com frequência, o Senhor reconduz os vaidosos de sua vanglória por meio de alguma humilhação que lhes acontece. Se examinarmos nosso passado, talvez identifiquemos algumas humilhações que doeram, na época, mas foram excelente remédio receitado pelo Senhor…
 
Orai sem cessar: «Honra-Me quem oferece um sacrifício de louvor!» (Sl 49,23)
São Bonifácio, rogai por nós, pelos cristãos perseguidos e martirizados no mundo inteiro e pelo fim da Pandemia!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler