Reflexão do Evangelho 07/04/2022

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…

Evangelho do dia, 07 de abril (Jo 8, 51-59): «Se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte»
Dizia-lhes Jesus: «Em verdade, em verdade, vos digo: se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte». Os judeus então disseram: «Agora estamos certos de que tens um demônio. Abraão morreu, e os profetas também, e tu dizes: ‘Se alguém guardar a minha palavra, jamais provará a morte’. Porventura és maior do que nosso pai Abraão, que morreu? E também os profetas morreram. Quem tens a pretensão de ser?» Jesus respondeu: «Se eu me glorificasse a mim mesmo, minha glória não valeria nada. Meu Pai é quem me glorifica, aquele que dizeis ser vosso Deus. No entanto, vós não o conheceis. Mas eu o conheço; e se dissesse que não o conheço, eu seria um mentiroso como vós. Mas eu o conheço e observo a sua palavra. Vosso pai Abraão exultou por ver o meu dia. Ele viu e se alegrou». Os judeus disseram-lhe então: «Ainda não tens cinquenta anos, e viste Abraão?». Jesus respondeu: «Em verdade, em verdade, vos digo: antes que Abraão existisse, Eu Sou». Então, pegaram pedras para o apedrejar; mas Jesus escondeu-se e saiu do templo.

COMENTÁRIO: «Porventura és maior do que nosso pai Abraão, que morreu?» Jesus Se apresenta como o cumprimento das esperanças dos Patriarcas do Antigo Testamento. Eles se mantiveram fiéis anelando ver o dia da Redenção. Referindo-se à fé dos Patriarcas exclama São Paulo: “Todos eles morreram na fé, sem terem recebido os bens que lhes tinham sido prometidos, mas contemplando-os de longe e saudando-os, e confessando ao mesmo tempo ser peregrinos e hóspedes na terra” (Heb 11,1-2.13). Entre eles sobressai Abraão, nosso pai na fé (Gal 3,7), que recebe a promessa de ser pai de um povo numeroso, o povo escolhido, de que nascerá o Messias… A resposta de Jesus à observação incrédula dos judeus encerra uma revelação da Sua divindade. Ao dizer “antes de Abraão existir, Eu sou”, o Senhor está a referir-Se à Sua eternidade, própria da natureza divina. Por isso exclama Santo Agostinho: “Reconhecei o Criador, distingui a criatura. Quem falava era descendente de Abraão, mas para que Abraão fosse feito, antes de Abraão Ele era.” Os Santos Padres evocam, em relação com as palavras de Cristo, a solene teofania do Sinai: “Eu sou o que sou” (Ex 3,14), e também a distinção que São João faz no prólogo do seu Evangelho entre um mundo que “foi feito” e o Verbo que “era” desde toda a eternidade (Jo 1,1-3). A expressão “Eu sou”, empregada por Jesus de maneira absoluta, equivale, pois, a afirmar a Sua eternidade e a Sua divindade!

Orai sem cessar: “Jesus é o mediador de uma nova aliança, para que, por meio de sua morte, recebam os eleitos a herança eterna que lhe foi prometida!” (Heb 9,15).
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
São João Batista de La Salle, rogai por nós, pela Igreja de Cristo, pelo fim da Pandemia e pela paz na Ucrânia e no mundo inteiro!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler

escort -
slotbaronline.com
- cratos casino giriş -

kolaybet.pro

- asya-bahis.net -

betcup.pro

-
casinovale.club
- bahsegel.club