Reflexão Do Evangelho 12/03/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 12 de março (Mc 12,28-34): «O primeiro de todos os mandamentos»
Um escriba aproximou-se de Jesus e perguntou: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?» Jesus respondeu: «O primeiro é este: ‘Ouve, Israel! O Senhor nosso Deus é um só. Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com toda a tua força!’ E o segundo mandamento é: ‘Amarás teu próximo como a ti mesmo’! Não existe outro mandamento maior do que estes». O escriba disse a Jesus: «Muito bem, Mestre! Na verdade, é como disseste: ‘Ele é único, e não existe outro além dele’. Amar a Deus de todo o coração, com toda a mente e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo, isto supera todos os holocaustos e sacrifícios». Percebendo Jesus que o escriba tinha respondido com inteligência, disse-lhe: «Tu não estás longe do Reino de Deus». E ninguém mais tinha coragem de fazer-lhe perguntas.
 
COMENTÁRIO: Amar a Deus sobre todas as coisas! O primeiro e maior de todos os mandamentos, diz Nosso Senhor, é amar a Deus sobre todas as coisas. Isto implica, na prática, que O devemos buscar não como a um bem entre os demais, mas como ao Fim último e derradeiro da nossa existência e, por conseguinte, de cada ação nossa, por mínima e aparentemente insignificante que seja. Tudo quanto fazemos, do comer ao dormir, no trabalho ou nos momentos de repouso, façamo-lo por Deus e para Deus; tudo a Ele refiramos e a nenhum empreendimento nos ousemos entregar sem termos a Ele como meta e termo dos nossos esforços. Embora, devido à nossa condição limitada de criaturas, sejamos incapazes de O amar como Ele merece sê-lo (isto é, infinitamente), podemos e devemos amá-Lo totalmente, ou seja, de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e com toda a força, ordenando ao menos habitualmente toda a nossa vida a adorá-Lo, servi-Lo e glorificá-Lo. “Portanto”, diz-nos o Apóstolos das gentes, “quer comais, quer bebais ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus”! [1Cor 10, 31]. O Santo Cura d’Ars, apresentado pela Igreja como modelo dos Sacerdotes, retornando em certa ocasião do povoado francês de Savigneux, começou a chorar… Algum tempo depois, revelou ele num sermão o motivo do seu pranto: “Eu voltava de Savigneux. Os passarinhos cantavam no bosque, e eu me pus a chorar. Pobres animaizinhos, pensava eu, Deus vos criou para cantar e vós cantais… O homem que foi feito para amar a Deus não O ama!”
 
Tenha um abençoado final de semana!
São José, servo justo e fiel, rogai por nós e pelo fim da pandemia!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler