Reflexão Do Evangelho 13/03/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…

Evangelho de hoje, 13 de março (Lc 18,9-14): «Deus resiste aos soberbos!»
Para alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezavam os outros, Jesus contou esta parábola: «Dois homens subiram ao templo para rezar. Um era fariseu, o outro publicano. O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de toda a minha renda’. O publicano, porém, ficou a distância e nem se atrevia a levantar os olhos para o Céu; mas batia no peito, dizendo: ‘Meu Deus, tem compaixão de mim, que sou pecador!’ Eu vos digo: esse último voltou para casa justificado, mas o outro não. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado».
 
COMENTÁRIO: Sou pecador! Na parábola, dois homens se apresentam a Deus. O primeiro se julga justo e santo: sua “oração” consiste em ridículo autoelogio, a gabar-se de suas boas obras em longa relação de atos meritórios. O segundo batendo no peito, os olhos baixos, no fundo do templo, vê-se como pecador e suplica misericórdia. Como todos sabem, Jesus garante que a oração do pecador foi ouvida, e que o outro “falou para as paredes”. Você conhece alguém que não tem pecados? Eu conheço: Gente que, ao ouvir falar no sacramento da Reconciliação (“Confissão”), replica: “Mas, confessar o quê? Não matei nem roubei! Eu não tenho pecados…” Possivelmente, irá apresentar a Deus uma fatura, cobrando um lugarzinho no Céu! Não basta “não matar” e “não roubar”. Corremos o risco de não amar. E não amar é um grave pecado! É por não amar que quebramos nossos juramentos de fidelidades, abandonamos os filhos e o lar, ficamos indiferentes perante a dor do mundo. É por não amar que gastamos nosso tempo em pequeninos programas e diversões pessoais, acumulamos dinheiro com avareza e negamos a esmola, fazemos do prazer o alvo de nossa existência. É por não amar que nos tornamos agressivos e agressores. É por não amar que negamos o perdão e defendemos a pena de morte. É por não amar que nos alegramos com a infelicidade dos outros. Mas nossos pecados vão muito além. Como dizia o Papa Pio XII, em 1948, “o maior pecado deste século é a perda do sentido do pecado”. E, ignorando que somos pecadores, mascarados de inocentes, temos sempre a língua afiada para acusar as pequenas falhas dos outros. Se pudéssemos, teríamos igualmente uma lâmina afiada para cortar o pescoço dos pecadores. Claro, os “outros pecadores”! (Antônio Carlos Santini – Comunidade N. Aliança)
 
Orai sem cessar: “Deus resiste aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes” (1Ped 5,5).
São José, servo justo e fiel, rogai por nós e pelo fim da Pandemia!
À Jesus, toda a honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler