Reflexão Do Evangelho 18/03/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje…

Evangelho de hoje, 18 de março (Jo 5,31-47): «Eu vim em nome de meu Pai, e vós não Me recebeis»
«Se eu dou testemunho de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro. Um outro é quem dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro. Vós mandastes perguntar a João, e ele deu testemunho da verdade. Ora, eu não recebo testemunho da parte de um ser humano, mas digo isso para a vossa salvação. João era a lâmpada que iluminava com sua chama ardente, e vós gostastes, por um tempo, de alegrar-vos com a sua luz. Mas eu tenho um testemunho maior que o de João: as obras que o Pai me concedeu realizar. As obras que eu faço dão testemunho de mim, pois mostram que o Pai me enviou. Sim, o Pai que me enviou dá testemunho a meu favor. Mas vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua face, e não tendes a sua palavra morando em vós, pois não acreditais naquele que Ele enviou». Examinais as Escrituras, pensando ter nelas a vida eterna, e são elas que dão testemunho de mim. Vós, porém, não quereis vir a mim para terdes a vida! Eu não recebo glória que venha dos homens. Pelo contrário, eu vos conheço: não tendes em vós o amor de Deus». Eu vim em nome do meu Pai, e vós não me recebeis. Mas, se um outro viesse em seu próprio nome, a esse receberíeis. Como podereis acreditar, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do Deus único? Não penseis que eu vos acusarei diante do Pai. Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. Se acreditásseis em Moisés, também acreditaríeis em mim, pois foi a meu respeito que ele escreveu. Mas, se não acreditais nos seus escritos, como podereis crer nas minhas palavras?».
 
COMENTÁRIO: «Se Eu dou testemunho de Mim mesmo, o Meu testemunho não é verdadeiro». Jesus explica que as Suas palavras são avalizadas por quatro testemunhos: o de São João Batista, o dos milagres, o do Pai, e o das Sagradas Escrituras do Antigo Testamento. João Batista tinha dado testemunho de que Jesus era o Filho de Deus. Jesus pode mostrar-lhes, além disso, um testemunho melhor que o do Batista: os milagres que realiza, e que são sinais inequívocos do Seu poder divino. Noutras ocasiões o Pai manifesta a divindade de Jesus: no Batismo, na Transfiguração e, mais tarde, diante de toda a multidão: Pai, glorifica o teu nome… Jesus apela, também, para outro testemunho divino: o que se encontra nas Sagradas Escrituras. Elas falam d’Ele. Por isso “devemos receber com devoção estes livros que exprimem o vivo sentido de Deus, nos quais se encontram sublimes doutrinas a Seu respeito, uma sabedoria salutar a respeito da vida humana, bem como admiráveis tesouros de preces, nos quais, finalmente, está latente o mistério da nossa salvação” (Dei Verbum, n. 15). Jesus lança à cara dos Seus ouvintes três impedimentos que têm para O reconhecerem como o Messias e Filho de Deus: a falta de amor a Deus, a busca da glória humana e a interpretação interessada dos textos sagrados.
 
Orai sem cessar: “O Senhor julgará o seu povo!” (Hb 10,30)
São José, servo justo e fiel, rogai por nós e pelo fim da Pandemia e de todo mal que a circunda!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Lumem Cordium! Veni Sancte Spiritus!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler