Reflexão Do Evangelho 19/06/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 19 de junho (Mt 6,24-34): «Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus»
Disse Jesus aos seus discípulos: «Ninguém pode servir a dois senhores: ou vai odiar o primeiro e amar o outro, ou aderir ao primeiro e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e ao Dinheiro! Por isso, eu vos digo: não vivais preocupados com o que comer ou beber, quanto à vossa vida; nem com o que vestir, quanto ao vosso corpo. Afinal, a vida não é mais que o alimento, e o corpo, mais que a roupa? Olhai os pássaros do céu: não semeiam, não colhem, nem guardam em celeiros. No entanto, o vosso Pai Celeste os alimenta. Será que vós não valeis mais do que eles? Quem de vós pode, com sua preocupação, acrescentar um só dia à duração de sua vida?» E por que ficar tão preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo. Não trabalham, nem fiam. No entanto, eu vos digo, nem Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um só dentre eles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje está aí e amanhã é lançada ao forno, não fará ele muito mais por vós, gente fraca de fé? Portanto, não vivais preocupados, dizendo: ‘Que vamos comer? Que vamos beber? Como nos vamos vestir?’ Os pagãos é que vivem procurando todas essas coisas. Vosso Pai que está nos céus sabe que precisais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo. Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá sua própria preocupação! A cada dia basta o seu mal.
 
COMENTÁRIO: “A verdadeira preocupação!” Não vos preocupeis com a vossa vida! As preocupações com as coisas da nossa vida lembram-nos que em primeiro lugar devemos confiar no nosso Pai-Deus. Jesus fala de um tema muito presente na vida dos homens de todos os tempos: as preocupações. Hoje como no século I, embora de um modo diferente, temos muitos motivos para estar preocupados: conseguir um trabalho digno, ter algo para comer e um teto que nos proteja, algumas garantias para o futuro. A proposta de Nosso Senhor pode parecer-nos imprudente: como não nos preocuparmos com o amanhã? Quem irá encarregar-se por conseguir o necessário para viver, se não formos nós? Não se trata de deixar de lado todas essas coisas, nem de viver desatendendo as necessidades materiais do dia a dia. A questão é como as fazemos. A preocupação a que Jesus se refere é a falta de confiança e de abandono nas mãos do nosso Pai-Deus. Em outra ocasião, muito trivial como uma refeição entre amigos, o Senhor dirá a Marta: “Preocupas-te e inquietas-te com muitas coisas, mas só uma coisa é necessária” (Lc 10,41-42). A única coisa necessária é confiar em Deus, receber das suas mãos o bom e o que pode parecer-nos mal: Assim era a vida espiritual de São José, não é “um caminho que explica, mas um caminho que acolhe”. Acolher a vida tal como se nos apresenta é “um modo pelo qual se manifesta, na nossa vida, o dom da fortaleza que nos vem do Espírito Santo” (Francisco, Patris corde n. 4). São Paulo, numa das suas Cartas, explica a solução para as preocupações da vida: “Não vos preocupeis com coisa alguma, mas, em toda ocasião, apresentai a Deus os vossos pedidos, em orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças” (Fil 4,6). A atitude de quem vive com essa fé é a oração: pedir com fé a ajuda de Deus nas dificuldades e manifestar-lhe um agradecimento contínuo por todos os dons que nos concedeu.
 
«Jesus Cristo, Senhor nosso, embora sendo rico, para nós se tornou pobre, a fim de nos enriquecer mediante sua pobreza!» (2Cor 8,9)
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler