Reflexão do Evangelho 13/05/2021

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 13 de maio (Jo 16,16-20): «Vossa tristeza se transformará em alegria»
Disse Jesus aos seus discípulos: «Um pouco de tempo, e não mais me vereis; e mais um pouco, e me vereis de novo». Alguns dos seus discípulos comentavam: «Que significa isto que ele está dizendo: ‘Um pouco de tempo e não mais me vereis, e mais um pouco, e me vereis de novo’ e ‘Eu vou para junto do Pai’?». Diziam ainda: «O que é esse ‘pouco’? Não entendemos o que ele quer dizer». Jesus entendeu que eles queriam fazer perguntas; então falou: «Estais discutindo porque eu disse: ‘Um pouco de tempo, e não me vereis, e mais um pouco, e me vereis de novo’? Em verdade, em verdade, vos digo: chorareis e lamentareis, mas o mundo se alegrará. Ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria».
 
COMENTÁRIO: «Ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria!» O Senhor tinha consolado antes os discípulos asseverando-lhes que depois da Sua partida lhes enviaria o Espírito Santo. Agora dá-lhes outro motivo de consolação: a Sua partida não será definitiva, mas voltará a estar com eles. Os apóstolos não entendem o que lhes quer dizer, e interrogam-se uns aos outros sobre o sentido das palavras do Mestre. O Senhor não lhes dá uma explicação direta, porque não seriam capazes de compreender, como já noutras ocasiões. Pelo contrário, insiste na alegria que virá depois dessa tristeza que agora os embarga. E assim anuncia-lhes que, depois das tribulações, terão um gozo completo que não perderão jamais. Refere-Se à alegria da Ressurreição (Lc 24,41), mas também ao encontro definitivo com Jesus no Céu. A imagem da mulher que dá à luz, que é muito frequente no Antigo Testamento para exprimir a dor intensa, costuma empregar-se, também, nos Profetas, para significar o parto do novo povo messiânico (Is 21,3; 26,17; 66,7; ler 30,6; Os 13,13; Miq 4,9-10). As palavras de Jesus neste Evangelho parecem ter uma relação com tais profecias, das quais constituem o seu cumprimento. O nascimento do povo messiânico — a Igreja de Cristo — comporta dores intensas não só para Jesus, mas também, na sua medida, para os Apóstolos. Mas essas dores, como de parto, ver-se-ão compensadas pelo gozo da consumação do Reino de Cristo: «Porque estou convencido, diz São Paulo, de que os padecimentos do tempo presente não são comparáveis com a glória futura que se há de manifestar em nós» (Rom 8,18). Opusalegria
 
Orai sem cessar: “Quem semeia entre lágrimas, colherá com alegria!” (Sl 125,5)
Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós, pelo Brasil e pelo mundo inteiro!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler