Reflexão do Evangelho 14/01/2022

Bom dia Espírito Santo! O que vamos fazer juntos hoje….

Evangelho de hoje, 14 de janeiro (Mc 2,1-12): «O pecado paralisa!»
Alguns dias depois, Jesus passou novamente por Cafarnaum, e espalhou-se a notícia de que ele estava em casa. Ajuntou-se tanta gente que já não havia mais lugar, nem mesmo à porta. E Jesus dirigia-lhes a palavra. Trouxeram-lhe um paralítico, carregado por quatro homens. Como não conseguiam apresentá-lo a ele, por causa da multidão, abriram o teto, bem em cima do lugar onde ele estava e, pelo buraco, desceram a maca em que o paralítico estava deitado. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: «Filho, os teus pecados são perdoados». Estavam ali sentados alguns escribas, que no seu coração pensavam: «Como pode ele falar deste modo? Está blasfemando. Só Deus pode perdoar pecados»! Pelo seu espírito, Jesus logo percebeu que eles assim pensavam e disse-lhes: «Por que pensais essas coisas no vosso coração? Que é mais fácil, dizer ao paralítico: ‘Os teus pecados são perdoados’, ou: ‘Levanta-te, pega a tua maca e anda’? Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados — disse ao paralítico — eu te digo: levanta-te, pega a tua maca, e vai para casa»! O paralítico se levantou e, à vista de todos, saiu carregando a maca. Todos ficaram admirados e louvavam a Deus dizendo: «Nunca vimos coisa igual»!
 
COMENTÁRIO: «Nunca vimos coisa igual»! São vários os elementos que manifestam aqui a divindade de Jesus: perdoa os pecados, conhece por Si mesmo a intimidade do coração humano e tem poder para curar instantaneamente doenças corporais. Os escribas sabem que só Deus pode outorgar o perdão das culpas e por isso consideram infundada, e inclusivamente blasfema, a afirmação do Senhor. Necessitam de um sinal que mostre a verdade daquelas palavras. E Jesus oferece-lhes: assim como ninguém discutirá a cura do paralítico, do mesmo modo ninguém poderá negar razoavelmente a libertação das suas culpas. Cristo, Deus e Homem, exerceu o poder de perdoar os pecados e, pela Sua infinita misericórdia, quis estendê-lo à Sua Igreja. São Jerônimo vê na paralisia corporal daquele homem um tipo ou figura da paralisia espiritual: o paralítico de Cafarnaum também não tinha forças, por si mesmo, para voltar a Deus. Jesus, Deus e Homem, curou-o de ambas as paralisias. As palavras dirigidas ao paralítico, «os teus pecados te são perdoados», refletem que no fato de lhe perdoar se dá um encontro pessoal com Jesus; o mesmo acontece no sacramento da Penitência: «A Igreja, pois, ao observar fielmente, há séculos, a prática do sacramento da Penitência, a prática da confissão individual, unida ao ato pessoal de arrependimento e ao propósito de se corrigir e de satisfazer, defende o direito particular da alma humana. E o direito a um encontro mais pessoal do homem com Cristo crucificado que perdoa, com Cristo que diz, por meio do Ministro do sacramento da Reconciliação: ‘São-te perdoados os teus pecados’ (Mc 2,5); ‘Vai e doravante não tornes a pecar’ (Jo 8, 11).
 
Orai sem cessar: “Querido Deus. Se um dia eu perder a fé (diante dos sofrimentos), que meus amigos tenham fé por mim!”
Tenha um abençoado final de semana!
À Jesus, toda honra, louvor e adoração!
Shalom🙏Veni Sancte Spiritus! Veni Lumem Cordium!

Compartilhe Também

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

INSCREVA-SE NO BOLETIM INFORMATIVO

Inscreva-se para receber nossas últimas notícias

Mais para você ler

escort -
slotbaronline.com
- cratos casino giriş -

kolaybet.pro

- asya-bahis.net -

betcup.pro

-
casinovale.club
- bahsegel.club